E se eu não te amar amanhã?

Sala Marília Pêra

Uma peça de teatro que usa elementos do cinema para contar a história de um casal, vivido por Luana Piovanni e Leonardo Medeiros, que acabou de se separar. E se eu não te amar amanhã? mergulha nas questões que rodeiam a relação deste casal para entender por que muitas vezes o amor tem data de validade e em qual momento ele começa a vencer. Para ajudar a unir esse quebra-cabeça de situações bem humoradas, entram em cena também o melhor amigo do casal, interpretado por Marcelo Laham, e, se dividindo entre duas personagens, Luana Piovani no papel de uma garota de programa transexual.

A cineasta Sandra Werneck, que já realizou 18 filmes, entre ficções e documentários  (Pequeno Dicionário Amoroso, Cazuza o tempo não para, Sonhos Roubados), traz para o teatro toda a sua experiência de direção de cinema. Em E se eu não te amar amanhã? o público será levado a se sentir em um set de filmagens, em um estúdio com vários ambientes onde o olhar da plateia tomará o lugar da câmera. O cenário revelará os bastidores, com contrarregras em cena colocando objetos, ajustando a luz, resolvendo detalhes para o andamento da “filmagem”. Os atores estarão sempre no palco, atuando, mudando o figurino. Aos poucos, a mágica por trás de uma produção é revelada ao público.

E se eu não te amar amanhã?, texto inédito de Julia Spadaccini, reúne, pela primeira vez num palco, Luana Piovani, Leonardo Medeiros e Marcelo Laham. Eles contarão a história de Samantha, uma atriz de novelas, e de Gustavo, um escritor sem inspiração, que acabaram de se separar por causa de uma aparente bobagem cotidiana. O amigo Zé Roberto, com suas visitas, mantém o casal próximo. Samantha e Gustavo parecem ter aceito o fato de que o casamento deles ruiu, não tem mais volta, mas Zé Roberto não. Ele não consegue conceber que aquele casal que ele tanto amou não estará mais junto. Através do leva e trás de Zé, de sua tentativa frustrada de unir novamente os dois, e de Suelen, garota de programa transexual contratada por Gustavo, a peça mergulha num quebra-cabeças engenhoso em que todos os personagens aos poucos vão descortinando seus medos, desejos e a trama, que antes parecia uma comédia romântica inofensiva, se revela como uma profunda reflexão das relações amorosas contemporâneas.

 

 


Texto: Julia Spadaccini

Elenco: Luana Piovani, Leonardo Medeiros e Marcelo Laham

Direção: Sandra Werneck

Codireção: Michel Blois

Pesquisa Dramatúrgica: Márcia Brasil

Direção de Movimento: Renato Linhares

Direção Vocal: Rose Gonçalves

Cenografia: Aurora dos Campos

1a assistente de cenografia – Tuca Benvenutti

2a assistente de cenografia- Alice Cruz

Cenotecnia – André Salles

Montagem – André Salles, Luiz Vilar, Marcio Domingos e Walmir Jr.

Direção de Palco – Ney Silveira

Contrarregragem- Edilson Risoleta

Figurinos: Kika Lopes

Assistente de Figurinos: Simone Aquino

Camarim: Edilson Risoleta

Iluminação: Tomás Ribas

Assistente de Iluminação: Vitor Emanuel

Montagem: Boy Jorge e Jarbas Sardinha

Operação de luz: Jarbas Sardinha

Trilha Sonora Original: João Nabuco

Operação de Som: Luciano Siqueira

Visagismo: Diego Nardes

Assistente de Visagismo: Diva Correia

Cabelos: Lucas Souza

Assessoria de Imprensa: Claudia Oliveira e Mariana Bezerra Cavalcanti

Programação Visual: Thiago Lacaz

Fotografia: Paula Kossatz

Vídeos: Chamon Audiovisual

Mídias Sociais: Rafael Teixeira

Produção Geral: Nevaxca Produções – Tárik Puggina

Direção de Produção (pré-produção): Elaine Macedo

Produção Executiva: Luiz Fernando Orofino

Administração Financeira: Tânia Luz

Produção de Elenco: Elaine Macedo

Idealização: Sandra Werneck

Realização: Cine Luz

Agradecimentos: André Boucinhas, Andrea Beltrão, Carlos Vieira, Marcelo Chaffin, Marco Ricca, Patrícia Pillar, Paula Catunda, Pedroca Monteiro, Rudimila Borges,

 



Nenhum comentário

Deixe seu comentário