Jim

Sala Marília Pêra

JIM, um espetáculo-show não biográfico inspirado na obra poética de um dos maiores ícones do rock, Jim Morrison.

Idealizado por Eriberto Leão, texto de Walter Daguerre, direção de Paulo de Moraes e produzido pela Barata Comunicação, a peça se baseia no legado poético e simbólico deixado pelo vocalista do The Doors.

Um homem diante do túmulo de Jim Morrison com uma arma em punho. Um homem que não conheceu o vocalista do The Doors pessoalmente mas que sempre buscou ter uma vida como a de Jim, um dos maiores ícones do rock de todos os tempos. Um homem que durante anos acalentou o sonho de seguir os passos de seu ídolo, como artista e como ser humano, mas que acabou percorrendo uma existência trivial. Um homem que chegou aos 40 com o sentimento de que suas idealizações se perderam no tempo. É este homem que está agora em Paris, no cemitério Père-Lachaise com um revólver na mão para acertar as contas com JimMorrison. Ele tem somente uma bala, uma pequena peça de chumbo com a qual pretende transformar seu destino num jogo de azar. Este seria um acontecimento relativamente simples, não fosse a aparição de uma misteriosa mulher com quem ele trava um decisivo diálogo. E da presença

enigmática

de JIM.


Texto: Walter Daguerre

Direção: Paulo de Moraes

Elenco: Eriberto Leão e Renata Guida
Músicos: José Luiz Zambianchi (teclado), Felipe Barão (guitarra) e Rorato (bateria)

Direção musical: Ricco Vianna

Cenografia: Paulo de Moraes
Figurinos: Rita Murtinho
Iluminação: Maneco Quinderé
Engenharia e operação de som: Branco
Operador de som: Arthur Ferreira
Operador de luz: Jarbas Alves
Diretor de cena: Daniel Benevides

Assistente de direção: José Luiz Júnior
Assistente de iluminação: Russinho
Assistente de figurino: Luiza Moura

Programação Visual: Walter Daguerre
Fotografia: Marcelo Faustini

Mídias sociais: Matanay


Produção executiva: Carolina Consani e Roberta Marinho
Produção e Assessoria de imprensa: Barata Comunicação
Equipe Barata Comunicação:
Produtores: Elaine Moreira e Bruno Luzes
Financeiro: Mádia Barata

Imprensa: Priscilla Santos



Nenhum comentário

Deixe seu comentário