O Amor Perdoa Tudo, inclusive o Casamento

Sala Fernanda Montenegro

O premiado autor de 26 livros, o múltiplo artista Fabrício Carpinejar dá o start agora em sua carreira como dramaturgo na comédia ‘O amor perdoa tudo, inclusive o casamento’, baseada no seu livro ‘Ai Meu Deus, Ai Meu Jesus – Crônicas de Amor e Sexo’ de 2012.

O texto adaptado pelo próprio autor, em parceria com a roteirista Cláudia Tajes  é estrelado pelos atores ALEXANDRA RICHTER, MOUHAMED HARFOUCH e MARCELO AQUINO, sob direção de ARY COSLOV, direção de produção de Cássia Vilasbôas e realização de NOVE Produções.

O espetáculo mostra o universo do casamento e joga uma pedra em clichês que tentam macular a “sagrada instituição”.

O roteiro é roupa de cama: colcha, lençol e fronha de palavras. Preenchendo os vazios da cama, moldando as performances, detalhando os sentimentos, cobrindo e descobrindo o sexo. O encontro dos amantes, a euforia do início do casamento, a negação do amor.

Ao dissecar a natureza da alma feminina, Carpinejar escancara a porta do quarto sem pudores, sem medo de se entregar e de ser visto. O que importa é aquele momento, seus desdobramentos, motivos e inquietações.

Alexandra Richter, dona de beleza e humor sofisticados, aposta novamente na comédia romântica, depois do sucesso de ‘A história de nós dois’; dessa vez ao lado de Mohamed Harfouch, que se destacou recentemente no musical ‘É tudo ou Nada’.

Ary Coslov molda a cena com a experiência de quem está no palco desde ‘O Grande Teatro’ da TV Tupi, com Sergio Britto e Fernando Torres, Ary contabiliza 16 peças que levam a sua assinatura na direção, entre elas, ‘Traição’, de Harold Pinter, quando ganhou os prêmios Shell e APTR.

“Sexo com intimidade é altamente arrebatador. Desejar diferentemente sempre a mesma mulher é bem melhor do que desejar do mesmo jeito mulheres diferentes”, diz Carpinejar para quem “liberdade na vida é ter um amor para se perder”.

“Uma mulher não deseja um homem previsível. É mentira. Busca alguém que inspire confiança e segurança, que possa contar e guardar segredos, que saiba o que esperar dele para se desesperar por ele. Um homem que ela tenha certeza que estará junto diante das mais fortes incertezas. A verdade é que a mulher procura um homem previsível, mas intenso.”

“As mulheres queimaram a calcinha, o sutiã, Os homens incineraram os pijamas listrados. Não há mais nenhuma revolução sexual, depois do anticoncepcional e da pilúla azul, a impressão é que os tabus foram superados”, completa o autor.

 

 


AUTOR: Fabrício Carpinejar

ADAPTAÇÃO: Fabrício Carpinejar e Cláudia Tajes

DIREÇÃO: Ary Coslov

ATORES: Alexandra Richter, Mouhamed Harfouch e Marcelo Aquino

CENÁRIO: Marcos Flaksman

LUZ: Beto Bruel

DIREÇÃO DE MOVIMENTO: Ana Vitória

DIREÇÃO MUSICAL: Maíra Freitas

FIGURINOS: Marcelo Olinto

CARACTERIZAÇÃO: Fernando Santoro

FOTOGRAFIA: Nil Caniné

PROGRAMAÇÃO VISUAL: Ronaldo Alves

ASS. DIREÇÃO: Mayara Travassos

CENÓGRAFA ASS.: Andréa Renck

ESTAGIÁRIA CENOGRAFIA: Lívia Charret

OPERADOR DE LUZ: Hélio Malvino

OPERADOR DE SOM: Andrey Brandão

DIR. DE CENA: Márcio Domingues

CONTRAREGRA: Ricardo Silva

ASS. DE IMPRENSA: Will Comunicação / Luiz Menna Barreto

COORD. DE PRODUÇÃO: Fernando Duarte

PROD. EXECUTIVA: Daniela Paita

ASS. PRODUÇÃO: Mayara Maia

ADM. FINANCEIRA: Karime Khawaja

DIREÇÃO DE PRODUÇÃO: Cássia Vilasbôas

CAPTAÇÃO DE RECURSOS: Renata Borges

PRODUTORAS ASSOCIADAS: Alexandra Richter e Cássia Vilasbôas

REALIZAÇÃO: NOVE Produções Culturais

PATROCÍNIO: BRADESCO Seguros

 

 

 



Nenhum comentário

Deixe seu comentário