O Sonho

Sala Marília Pêra - SOMENTE DIAS 7 e 08.12.15

O Sonho

Texto: August Strindberg

Adaptação / Direção: Anna Wiltgen / Isabella Secchin

Inês, filha do Deus Indra, desce a Terra para saber como vivem os seres humanos. Em sua jornada, se depara com situações que oscilam entre o drama, a poesia e o humor patético, tecendo um enredo que reproduz a forma incontrolável, desarticulada e ilógica de um sonho.

 Em “O Sonho” (1901), August Strindberg desloca situações humanas para o terreno dos sonhos, com o objetivo de discutir a ética e a moral humanas, bem como o próprio Teatro, onde convivem a onipotência criativa e a lógica incontrolável que a suplanta, operando assim uma meta ficção. São sonhos de muitos e de nenhum, talvez sejam várias facetas do próprio Strindberg já que é possível identificá-lo com vários personagens da peça. Diametralmente oposto à dramaturgia de sua época, uma das grandezas de “O Sonho” está em não fechar possibilidades, nem permitir conclusões. Na lógica sem lógica dos sonhos, a peça segue em um fluxo único, sem uma ordenação temporal, durando o tempo das constantes metamorfoses de lugares e personagens; tempo e espaço caminhando juntos. Sem passado nem futuro, ela tem a duração de um sonho, ou do que simplesmente é: uma peça de teatro.

 

 


Texto: August Strindberg

Adaptação / Direção: Anna Wiltgen / Isabella Secchin

Trilha Sonora: Alix Bandeira

Cenário: Anna Wiltgen / Isabella Secchin

Figurino: Coletivo

Arte da Porta: Alix Bandeira

Iluminação / Operação de Luz: Hélio Malvino

Operação de Som: Marcelo Carpenttiere

Visagismo: Renata Franco

Arte Gráfica: Edmundo Cavalcanti

Assistente de Produção: Nathália Cebrian / Beth Palatinik

Produção: Anna Wiltgen / Carlos Vinhas

Realização: Teatro no Teatro

Elenco:

 Alex Nynna, Alix Bandeira, Beth Palatnik, Carlos Vinhas, Dandara Perucchi, Danillo Jardim, Drika Friedman, Eduardo Ferreira, Eduardo Salvatore, Fabiana Mendonça, Gabriel Rangel, Gabriela Azevedo, Jorge Grecco, Julia Ferraz Benício, Katia Pontual, Lorena Bibas, Marcelo Figueirôa, Nathalia Cebrian, Rodrigo da Rocha, Patrícia Barcellos, Pedro Prado e Vivian Sterenberg

 

 

 

 



Nenhum comentário

Deixe seu comentário