Perdas e Ganhos

Sala Fernanda Montenegro

O espetáculo tem como um de seus objetivos levar o público para um processo reflexivo diante da vida, de suas escolhas, atitudes e opções, valorizar os afetos e as relações que desenvolvemos desde o nascimento com nossa família, amigos, amores, consigo mesmo e com a natureza. Como lidamos com o tempo, sabemos envelhecer com sabedoria? Sabemos superar os momentos difíceis ou nos entregamos ao desânimo e a frustração? A vida é um processo de constantes transformações e isso nos assusta. Aprender a encontrar a força dentro de nós é uma das lições que a vida nos propõe. Às vezes precisamos perder para valorizar o que agora perdemos uma pessoa, a saúde, o emprego, amores ou a própria vida!

“Perdas e Ganhos” fala de superação, capacidade de seguir adiante enfrentando o desafio de ser feliz!

Queremos com este espetáculo também fomentar a leitura. A cada apresentação a produção vai sortear 2 livros da obra de Lya Luft da Editora Record. Conhecer o pensamento de autores importantes aguça nosso próprio pensamento e amplia nosso olhar diante do mundo, da arte e do ser humano!

Sinopse do Espetáculo: Uma das principais funções do teatro é levar o público a se conhecer melhor encarando-se no espelho mágico do palco.

Neste espetáculo as palavras e reflexões de Lya Luft, uma autora conectada com seu tempo recebem a sabedoria e a presença iluminada de Nicette Bruno, atriz cuja trajetória de vida se confunde com a própria história do Teatro Brasileiro e será a condutora narrativa do espetáculo.

Os temas que serão debatidos são muitos e vão desde o nascimento, educação, valores familiares, relações afetivas, amadurecimento, velhice, solidão, autoestima até a transformação e a morte.

Nossa trajetória de vida vem de nossas escolhas e consequências.

Sabemos a diferença entre viver e sobreviver? Envelhecer com sabedoria? Construir um relacionamento com saúde e amor? Valorizar nossos ganhos e ultrapassar nossas perdas?

Para isso temos que ter um espaço interno onde guardamos nosso maior tesouro, os laços afetivos. Nossa família, amigos, amores, conquistas, desejos e anseios diante da vida. A profissão e a realização pessoal.

Para que o teatro aconteça precisamos criar situações de dramaturgia, pequenos efeitos teatrais e o surgimento de alguns personagens para que haja o envolvimento com a plateia.

Nesta proposta vamos usar a tecnologia para que possamos nos conectar com a modernidade da linguagem virtual sem perder a mais antiga forma do teatro: uma atriz sozinha em cena falando seu texto. Com a luz inspirada de Maneco Quinderé.

Teremos projeções num cenário que irá se transformar conforme a narrativa e a necessidade. As imagens serão produzidas pelos artistas Raquel Couto e Rodrigo Benatti num cenário criado por Ronald Teixeira.

Tivemos a liberdade poética de usar três personagens da obra “O silêncio dos Amantes” de Lya Luft para interagir com a figura da narradora de Nicette e serão interpretadas pela própria atriz criando um jogo de envolvimento e distanciamento dos temas que serão abordados com uma trilha sonora especialmente criada por Alfredo Sertã.

O teatro é uma arte coletiva, acreditamos na capacidade transformadora do homem diante de si mesmo e de seu semelhante.

Como diz a própria Lya: “Espero que este texto traga esperança  porque acredito que a felicidade é Possível, que o amor é Possível, que não existem só desencontro e traição mas ternura, amizade, compaixão, ética e delicadeza. Assim também acreditamos nós!


Texto: Lya Luft

Adaptação e Direção: Beth Goulart

Assistente de Direção: Ana Paula Bouzas

Interpretação: Nicette Bruno

Cenário: Ronald Teixeira

Iluminação: Maneco Quinderé

Preparação Vocal: Rose Gonçalves

Trilha Sonora: Alfredo Sertã

Programação Visual: Studio C – Carol Vasconcellos

Assessoria de Imprensa Nacional: Pierina Morais Comunicação

Fotografia Programa: Nana Moraes

Direção e Realização das Peças Audiovisuais: Rodrigo Benatti e Raquel Couto

Coordenação Geral de Produção /  Supervisão: Pierina Ferreira de Morais

Direção de Produção: Amora Xavier

Produção Executiva: Manoela Reis



Nenhum comentário

Deixe seu comentário