Samba Futebol Clube

Sala Fernanda Montenegro

12 INDICAÇÕES AOS PRÊMIOS SHELL E CESGRANRIO 2014

O futebol continua em cena, mesmo com o fim da Copa do Mundo, e com o maior sucesso! O musical Samba Futebol Clube, que une duas intensas paixões brasileiras: a música e o futebol, segue agora para o palco do Teatro Leblon, a partir de 05 de Setembro, sexta-feira.

Um dos grandes sucessos de público e crítica do ano em sua estreia no CCBB – em que recebeu 12 indicações aos prêmios Shell e Cesgranrio deste ano – o espetáculo cumpriu temporada no Teatro Municipal Carlos Gomes, também com muito sucesso.

Com linguagem multimídia reunindo música, teatro, dança e vídeo e direção de Gustavo Gasparani, também autor do texto, Samba Futebol Clube ganhou seis indicações a toda a equipe em cada um destes prêmios: Shell – autor e direção: Gustavo Gasparani; figurino: Marcelo Olinto; iluminação: Paulo Cesar Medeiros; música: Nando Duarte e ainda a categoria inovação para o elenco, “que tornou possível a renovação da estrutura do musical através de sua capacidade de atuar com excelência nas diversas funções do gênero.” Cesgranrio – melhor espetáculo; direção: Gustavo Gasparani; direção musical: Nando Duarte e categoria especial: Renato Vieira pela coreografia e direção de movimento; Alfredo Del-Penho, pela pesquisa de texto, e João Pimentel, por pesquisa musical, e todo o elenco.

Em cena oito atores/músicos formam um time de jogadores e torcedores que se revezam numa narrativa dramático-musical. Alan Rocha, Cristiano Gualda, Daniel Carneiro, Gabriel Manita, Jonas Hammar, Luiz Nicolau, Pedro Lima e Rodrigo Lima além de atores também são músicos, apaixonados por futebol, e no espetáculo tocam todos os instrumentos, ao vivo, como parte da encenação. A coreografia de Renato Vieira parte dos gestos dos próprios jogadores e torcedores, transpondo e recriando este balé popular tão familiar aos brasileiros para as dimensões do teatro musical. O maestro é Nando Duarte, diretor musical de todos os espetáculos de Gasparani, e os figurinos são assinados por Marcelo Olinto.

A aprovação do júri dos prêmios Shell e Cesgranrio veio em boa hora. Gustavo considera Samba Futebol Clube sua primeira “realização total” como diretor. Como não está em cena, ao contrário das outras vezes em que exerceu a direção, pôde explorar ainda mais sua pesquisa por uma linguagem original no teatro musical brasileiro. O roteiro foi sendo elaborado e experimentado simultaneamente à concepção do espetáculo, com participação do elenco, improviso e troca de ideias. Um processo parecido com o da Cia. dos Atores, da qual é membro-fundador. Deu certo. O elenco também recebeu uma indicação especial na categoria Inovação. “Isso é extraordinário, porque eles compraram a ideia de uma forma que muita gente não compraria, e não teria capacidade de fazer. Eles arrebentam, porque cantam, tocam, dançam, atuam, são engraçados, são dramáticos. Uma felicidade.”, comemora Gasparani.

O roteiro traz o quê de música e poesia que o futebol nos deu. Retrata sua ligação com a MPB, a partir do samba, e une citações de textos sobre o tema de José Lins do Rego, Paulo Mendes Campos, Armando Nogueira, Nelson Rodrigues, Carlos Drummond de Andrade e Ferreira Gullar. As canções ora são cantadas, ora são ditas como texto, criando, assim, um diálogo entre as letras e os textos destes mestres.

Utilizando elementos do jogo, da música brasileira e da dança do futebol, o espetáculo traz vídeos com tratamento pop – numa mistura de linguagens e imagens de jogadores e jogadas importantes – que ilustram as histórias entrelaçadas por músicas e textos. O samba, que é a base da nossa musica, está lá, mas nos leva à bossa-nova, ao choro e ao rock, ao sertanejo universitário e até ao hip hop. Indo desde clássicos de Pixinguinha a Nelson Cavaquinho, passando por Moraes Moreira, Jorge Ben Jor, Gonzaguinha, João Bosco e Aldir Blanc e chegando ao Rappa e Skank. O musical reflete, através do futebol, sobre a fragilidade humana diante da derrota e da vitória. Assim como escreveu o poeta Drummond: “Ganhar, perder, viver”.


Roteiro, direção e produção: Gustavo Gasparani.

ElencoAlan Rocha, Cristiano Gualda, Daniel Carneiro, Gabriel Manita, Jonas Hammar, Luiz Nicolau, Pedro Lima e Rodrigo Lima

Direção musical: Nando Duarte

Direção de movimento/coreografias: Renato Vieira

Cenografia: Marcelo Lipiani

Figurino: Marcelo Olinto

Iluminação: Paulo Cesar Medeiros

Cenografia digital: Thiago Stauffer/Studio Prime

Pesquisa de textos: Joao Pimentel

Pesquisa musical: Alfredo Del-Penho

Conteúdo audiovisual: Studio Prime

Assistente de direção: Erika Riba

Preparação vocal: Maurício Detoni

Projeto gráfico: Mary Paz Guillén

Visagismo: Beto Carramanhos

Patrocínio: Governo do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura, Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro e LIGHT

Apoiadores: EDF Norte Fluminense, Eletrobras, CCBB e Light

Produção: Coisas Nossas Produções Artísticas e Sábios Projetos

 



Nenhum comentário

Deixe seu comentário