Tomo suas mãos nas minhas

Sala Tônia Carrero

Anton Tchekhov, um dos mais famosos autores russos conhece, Olga Knipper, ensaiando sua peça A Gaivota.  A atriz, jovem e talentosa o atrai imediatamente e acrescenta a esta admiração uma intensa paixão.  Entretanto, Tchekhov é tuberculoso, o que o obriga a morar afastado de Moscou, onde Olga trabalha arduamente no Teatro de Arte de Moscou. O sentimento amoroso e a admiração mútua são alimentados por algumas estadias juntos e por belíssimas cartas que são a base dessa peça.

Esta intensa correspondência trocada pelos dois personagens começa contando o primeiro encontro de Olga e Tchekhov em Moscou e continua com o aprofundamento da relação.

Olga estimula Tchekhov a escrever novas peças, obras primas de sua dramaturgia, podendo-se deduzir  que foi ela a mola propulsora que impeliu-o a escrever suas melhores peças. A dramaturgia, a cumplicidade entre os dois, as situações de dificuldade passadas por ambas, compõem esse maravilhoso espetáculo.


Elenco: Roberto Bomtempo e Miriam Freeland

Direção: Leila Hipolito

Dramaturga: Carol Rocamora

Tradução e Adaptação: Leila Hipolito

Consultora Artística: Ilka Marinho Zanotto

Cenários: Fernando Mello da Costa e Rostand Albuquerque

Figurinos: Kika Lopes

Iluminação: Maneco Quinderé

Trilha Sonora: Alexandre Pereira

Produtora Executiva: Dadá Maia

Gerente do Projeto: Vittoria Z Duailibi

Realização: Conexão Cinema e Produções Artísticas LTDA



5 comentários

Deixe seu comentário