As Paparutas

Teatro Fashion Mall - Sala II

O texto de estréia de Lázaro Ramos no teatro e primeira produção da Realiza! Produtora Cultural, inspira-se na festa popular das “Paparutas” que acontece na Ilha do Paty, situada em São Francisco do Conde, interior da Bahia, cidade com o maior número de população negra do país (97%). Nesta festa, as Paparutas encontram-se para dançar e cantar com pratos típicos da região, como o vatapá, o caruru, a galinha cozida e o mugunzá. Jovi é uma criança inventiva, que narra a história das Paparutas, associação que lida com a magia da comida. O conflito se inicia quando uma paparuta novata é enviada pela poderosa Dona Papona para a organização, com a missão de aprender todos os ensinamentos das colegas. O que a Paparuta novata não sabe é que ela é uma das últimas remanescentes de Fernofolus e tem o poder de se tornar à próxima paparuta-chefe. Com medo de perder o poder, a chefe das Paparutas ordena que seu mensageiro, Feio, vá a busca de uma lendária flauta mágica, para fazer com que todas as pessoas fiquem iguais ao que ela julga ser a perfeição: ela mesma. A montagem busca respeitar a inteligência das crianças e, de forma construtiva, incentiva o imaginário infantil por meio de uma viagem lúdica, sob a certeza de que se pode ensinar e sensibilizar pela arte. Ao integrar a cultura do nordeste do país, o espetáculo promove um intercâmbio de culturas, trazendo à cena, de forma lúdica, premissas relevantes e urgentes ao universo infantil. O espetáculo destaca, assim, a discussão sobre as diferenças culturais, raciais, estéticas e outras formas possíveis de preconceito, além do fenômeno recentemente discutido do bullying. “AS PAPARUTAS” também tem foco a conscientização da importância da preservação ambiental, já que parte do material de cenários e figurinos são feitos com material sustentável, o que contribui para um mundo melhor. “AS PAPARUTAS” é o primeiro espetáculo infanto-juvenil brasileiro que alia acessibilidade, sustentabilidade, tecnologia e contrapartida social. O objetivo primordial do espetáculo é ampliar as referências acerca das diferenças e da cultura popular brasileira, para construir um imaginário criativo livre de preconceitos que aprisionam, na medida em que fazem o outro se fechar para o diferente. Outro tema importante discutido no espetáculo é a importância de cada ser humano ser um realizador e ter coragem pra concretizar seus sonhos. Espetáculo infanto-juvenil escrito por Lázaro Ramos, marca a primeira parceria entre o autor com Luiz Antônio Pillar – que assina a direção – e Maria Gal – idealizadora e produtora do projeto. Desdobramento Social: Formação de Platéia e Oportunidades de Trabalho Em cada apresentação do espetáculo, serão cedidos gratuitamente 15 lugares para ONGs e outras iniciativas que trabalhem com capacitação de comunidades carentes para formação de platéia. Acessibilidade No primeiro sábado de cada mês, as apresentações contarão com tradutor em linguagem de sinais, para o público com deficiência auditiva e áudio-discrição para deficientes visuais. Na ocasião, o público terá acesso ao cenário antes do início da mesma.


Texto: Lázaro Ramos Direção: Luís Antônio Pillar Idealização/Coordenação Geral: Maria Gal Direção de Produção: Letícia Torgo Produção Executiva: Patrícia Freitas Assistente de Direção e Preparador Vocal: Marco Bravo Preparadora Corporal: Juliana Nogueira Direção Musical: Alexandre Elias Iluminação: Valmyr Ferreira Cenário e Figurino: Ronald Texeira Elenco: Maria Gal, Samuel de Assis, Priscilla Marinho, Renata Celidonio, Cristiane Amorim, Livia Guerra e Munir Kanaan. Prestação de Contas: Boa Nova Produções Artísticas Ltda. Realização: Realiza! Produtora Cultural e Boa Nova Produções Artísticas Produtora Associada: Da Gaveta Produções Captação de Recursos: Realiza! Produtora Cultural e Unideias



Nenhum comentário

Deixe seu comentário