JOGO ABERTO

Sala I

Três casais se reúnem para mais um jantar entre amigos e a noite garante muitas surpresas, segredos e emoções. A comédia Jogo Aberto, de Jeff Gould, traduzida e dirigida por Isser Korik, estreia no dia 6 de janeiro, no Teatro Fashion Mall. Sucesso de crítica e de público em São Paulo, onde estreou em 2016, a peça fica em cartaz no Rio de sexta a domingo, até 19 de fevereiro.
A versão brasileira da comédia “Jogo Aberto” (It’s Just Sex) tem no elenco os atores André Bankoff, Samara Felippo, Natallia Rodrigues, Eduardo Leão, Pedro Henrique Moutinho e Nina Morena. Na trama, o que começa como um simples encontro entre amigos, logo se transforma num perigoso jogo de sedução, em que os personagens confessam intimidades e acabam vivendo experiências que vão afetar a ‘estabilidade’ dos casais. Num Jogo da Verdade Alcoólico, eles confessam desejos e sentimentos íntimos e acabam discutindo sobre valores como honestidade e monogamia. O resultado tem efeito cômico, romântico e ao mesmo tempo provocativo.
O diretor Isser Korik comenta sobre a escolha do texto: “Sempre gostei de comédias de situações, de textos em que a força dos acontecimentos é maior que a dos diálogos. Achei o tema muito pertinente e bem tratado. São questões que estão na vida de todos aqueles que vivem um relacionamento de longa duração. Os personagens são muito bem construídos e não há como o público não se identificar com algum deles”.
O ator André Bankoff faz o personagem Paulo, um executivo de finanças que é flagrado numa traição conjugal pela esposa Evelyn, personagem de Nina Morena. Júlia, interpretada por Samara Felippo, é uma massagista sexy que resiste aos avanços sexuais do insaciável marido Milton, personagem de Eduardo Leão. Natallia Rodrigues vive a advogada Lilian, uma mulher controladora, casada com o tenso André, um profissional da informática, personagem de Pedro Henrique Moutinho.
O encontro entre as personagens acontece na casa de Paulo e Evelyn, logo após a mulher o flagrar com outra mulher. O jantar, cujo pretexto era comemorar a liberdade alcançada com a viagem dos filhos para um acampamento, acaba se tornando o momento em que todos revelam as angústias de seus casamentos. Eles tentam esconder sentimentos em conversas descontraídas, mas as altas doses de álcool liberam fantasias e segredos inconfessáveis. Quando a “mágica” desaparece os três casais precisam encarar o resultado de suas ações, provocando uma reflexão sobre o amor e o compromisso conjugal.
Isser Korik diz que para alcançar o a comicidade, concentra a atenção em todas as nuances oferecidas pelo texto e no trabalho dos atores. “É uma comédia que depende muito da química dos atores entre si e de um ritmo preciso. É esse resultado que buscamos para garantir o efeito cômico”, diz o diretor.


Dramaturgia: Jeff Gould
Elenco: André Bankoff, Samara Felippo, Natallia Rodrigues, Eduardo Leão, Nina Morena, Pedro Henrique Moutinho e Gabriella Vergani.
Cenografia: Paula de Paoli
Assistente de Cenografia: Clau Carmo
Cenotécnico: Wagner José de Almeida
Serralheria: José da Hora
Figurinos: Luciano Ferrari
Produção de Figurinos: Elen Zamith
Costureira: Maria de Lourdes Oliveira
Trilha Sonora: Jair Oliveira
Criação gráfica: Agência LAB 212
Fotografia: João Caldas
Assessoria Internacional: Claudio Erlichman
Equipe Técnica: Jardim Cabine
Coordenação de Produção: Isabel Gomez
Assistente de Produção: Felipe Costa
Estagiários: Gustavo Thompon e Pedro Pó
Produção e Administração/RJ: Cris Fraga
Consultoria em atuação: Márcio Mehiel
Assistentes de Direção: Thiago Ledier e Mariana São João
Tradução, Iluminação e Direção: Isser Korik
Realização: RDP Marketing Cultural / Conteúdo Teatral



Nenhum comentário

Deixe seu comentário