O Gato de Botas – O Musical

Teatro Fashion Mall - Sala II

O espetáculo, baseado no conto de fadas de autoria do escritor francês Charles Perrault, incluído no livro Les Contes de ma mére L’Oye, publicado em 1697, fala sobre a vida de um moleiro que possuía três bens: um moinho, um burro e um gato (Chris Penna). O homem resolve dividir a sua herança, entre os três filhos, na hora da morte. O filho mais moço, que recebeu o gato, ficou muito descontente, mas o gato demonstra-se um amigo leal e astuto. Consegue para o seu “amo” riqueza, o título de Marquês de Carabás e, até mesmo, uma linda princesa (Andrea Veiga). Isso tudo, depois de muita aventura, música e diversão.

 Sobre o espetáculo:

 “Gato calçou as botas, pegou no saco e lá se foi pela floresta”

 A moral contida em “O Gato de Botas” trata do destino das pessoas que estavam à mercê do acaso, da esperteza ou da sorte. É a questão da partilha medieval, onde os três irmãos receberiam do pai, diferentes heranças: o mais velho – um moinho, o do meio – um burro para levar a farinha e o mais moço – um gato, que ainda tem de alimentar. Os dois mais velhos têm um meio de se sustentar, enquanto o menor (Pedro – Ronaldo Dal’Bianco), ainda gasta para manter viva a sua herança. Diante deste quadro adverso e injusto, aparece o elemento mágico/maravilhoso: O Gato de Botas. Ele é o responsável pelo restabelecimento da justiça e do otimismo, mesmo que, para isso, tenha de usar de esperteza para se sair bem.


Autor: Walter Daguerre

Direção: Daniel Dias da Silva

Elenco: Andrea Veiga, Chris Penna, Sandra Moscatelly, Samir Murad, Leonardo Arantes, Ronaldo Dal’Bianco, Hugo Kerth, Caio Scot e Helena Bittencourt

Direção Musical: Marcelo Nogueira

Coreografias: Anacleto Alves

Direção de Produção: Alexandre Lino (Cineteatro Produções)

Produção Executiva: Breno Lira GomesAssistente de Produção: Milena Manfredini

Cenografia e figurinos: Karlla de Luca

Iluminação: Adriana Milhomem

Visagismo: Sandra Moscatelly

Assessoria de Imprensa: Daniella Cavalcanti

Idealização: ALEXANDRE LINO e MARCELO NOGUEIRA



2 comentários

Deixe seu comentário