QUINTAS MUSICAIS – 1ª EDIÇÃO: MPB4

Há cinco décadas o MPB4 não apenas carrega no próprio nome a música que canta, a música de todo um país: ele vive essa música no dia-a-dia, nos palcos, nos bares, nas praças, estúdios, na carne e na voz. Seja revelando o compositor mais novo ou repaginando uma canção clássica, há 51 anos o MPB4 faz jus ao nome e, assim, nos serve de baliza: o que ele canta, o que seus quatro cantores escolhem para harmonizar com suas vozes nos indica o que seja a tal da grandiosa e muitas vezes indefinível MPB, a rica música popular de um país musical.

Por isso, para comemorar suas cinco décadas de carreira – marcadas pela gravação do primeiro LP do grupo, em 1966, pela mítica gravadora Elenco, no qual simplesmente, entre outras proezas, lançava uns quatro sambas de um tal Chico Buarque e transformava em canção clássica um já velho choro de Pixinguinha, “Lamentos”, com letra nova de Vinicius de Moraes – o MPB4 resolveu comemorar fazendo o que sempre fez nos últimos 50 anos, encarnando, ou melhor, dando voz à MPB (sigla, aliás, criada pelo próprio grupo no seu nascimento e que depois ganharia vida própria). Ao ouvir as novas canções que o Brasil produz pelo filtro do MPB4, vemos como não é nada por acaso que ele carregue a música que canta no nome. E na carne.

No repertório do show, além de canções incorporadas recentemente ao repertório, estarão clássicos que marcaram a trajetória do grupo, como Roda Viva (Chico Buarque), Amigo é pra essas coisas (Aldir Blanc / Silvio Silva Jr) e Cicatrizes (Miltinho / Paulo César Pinheiro).

Atualmente o MPB4 é composto por Aquiles Reis e Miltinho, remanescentes da formação original, além de Dalmo Medeiros e Paulo Malaguti Pauleira.



Nenhum comentário

Deixe seu comentário