Usufruto

Teatro Fashion Mall - Sala II

 

USUFRUTO, de Lúcia Veríssimo, é um espetáculo de idéias, construído com uma dramaturgia cuidadosamente burilada e uma encenação, assinada por José Possi Neto, que nos remete a intimidade desse encontro inesperado entre um homem e uma mulher desconhecidos num apartamento vazio. A peça, numa empreitada inovadora, fez uma temporada de cinco meses no Teatro FAAP, em São Paulo e ao mesmo tempo numa turnê por várias cidades do Brasil. Mantendo, durante esse período, dois cenários e duas equipes.

O texto de Lúcia Veríssimo é um tributo a Roland Barthes, um dos mais importantes filósofos do nosso tempo, que definia seu próprio trabalho como o “saber com sabor”. E é desta forma que é conduzido USUFRUTO. “Uma bela apresentação de idéias nas quais conceitos antigos são demolidos, novas propostas são lançadas, a vida e o amor são questionados, mas tudo é dito com sabor, com humor, com malícia e com sutileza”, afirma Lúcia.

Os diálogos são ágeis e sarcásticos, recheados de humor e malícia, onde são discutidas questões eternas sob uma ótica contemporânea: amor, casamento, paixão e ética.

Com formação jornalística, Lúcia Veríssimo sempre escreveu, mas não pensava em dramaturgia até 2005 quando, durante as tomadas de América, surge USUFRUTO: “Criei a peça nos intervalos das gravações da novela, incentivada por Rafael Calomeni e Gabriela Duarte. USUFRUTO nasceu envolto na poeira das madrugadas, no caminhão das externas”, conta Lúcia.

A história se passa num apartamento à venda. Nele se encontram uma mulher de cinqüenta anos: bela, sedutora, atraente, debochada, sem limites e um jovem e promissor arquiteto de uns trinta anos: entusiasta, sonhador, apaixonado e muito conservador. Eles disputam a compra do imóvel, e ela propõe um jogo, um jogo da verdade, no qual o perdedor desiste. Essa relação reúne a universalidade à particularidade, especialmente à particularidade brasileira, onde essas duas pessoas, uma mulher misteriosa e decidida a conseguir o que quer e um jovem homem que tenta realizar um sonho jogando sinceramente.

Sem jamais perder a leveza a peça é um dueto e um duelo, e seu final é surpreendente.


Texto: LÚCIA VERÍSSIMO

Elenco: LÚCIA VERÍSSIMO e ANDRÉ FUSKO

Direção: JOSÉ POSSI NETO

Assistente de direção: EDUARDO DE SAOTHIAGO

Cenógrafo: JEAN-PIERRE TORTIL

Iluminação: JOSÉ POSSI NETO

Visagismo: MARLENE MOURA

Fotos: JAIRO GOLDFLUS

Assessoria de Imprensa: IVONE KASSU

Assessoria de mailing: DEL CAST – DENISE DEL CUETO E CLAUDIA GUTIERRES

Produção Executiva: CRISTINA PROCHASKA

Direção de Produção: LÚCIA VERÍSSIMO



Nenhum comentário

Deixe seu comentário